Como hoje é dia dos pais resolvemos fazer uma homenagem especial à um grande homem e guerreiro que consideramos um dos “pais” e maiores protetores do Caminho. Seu nome: Tomás. Mais conhecido como Tomás de Manjarin – todos que já fizeram a travessia devem conhecê-lo, pois é uma das figuras mais emblemáticas do Caminho de Santiago.

E a história começa mais ou menos assim…

Fomos encontrando vários vestígios templários por todo o Caminho de Santiago. Estávamos ansiosos para encontrar alguém que pudesse nos contar mais sobre a Ordem que deixou diversas influências, símbolos e ritos espalhados pelo Caminho. Uma das funções dos templários era proteger os peregrinos que iam até Jerusalém. E com o passar do tempo eles estenderam sua proteção aos que peregrinavam até Santiago. Acumularam poder durante anos e misteriosamente desapareceram no século XIV. Mas será que realmente desapareceram?! Seus legados e conhecimentos parecem estar vivos até hoje… E Tomás é uma prova disso.

Esse grande pai do Caminho pertence à Ordem, à qual respeita e estuda há muito tempo.

Tomás criou um refúgio para peregrinos em um dos pontos mais altos de todo o trajeto, cerca de 1600m de altitude. Um ponto mágico da jornada, próximo à conhecida Cruz de Ferro. Quando chegou em Manjarín, encontrou um povoado abandonado, com pouquíssimas casas de pedra com as estruturas bastante deterioradas. Não tinha água e nem energia elétrica, o que dificultava e muito a permanência no inverno. Mas Tomás ao chegar, 21 anos atrás, sentiu que havia encontrado seu Lar e por lá ficou começando “do zero” o que seria mais tarde um dos locais mais conhecidos do Caminho Francês.

José Palma, do Caminho do Sol, já havia nos conectado a ele via email, mas foi Acácio (do Refúgio Acácio e Orietta) – outro grande pai do Caminho, que fez nossa ponte quando chegamos à Espanha. Sabíamos que Tomás não estava em Manjarín, pois sofrera uma cirurgia grave, então foi preciso encontrá-lo em outro ponto do percurso onde estava se recuperando.

A ponte foi feita e finalmente o conhecemos em Villafranca. Nosso encontro foi sensacional, Tomás carregava sua tradicional veste Templária e com um bom humor de tirar o chapéu. Suas histórias nos encantaram e acabamos ficando juntos por mais de 3 horas…

Durante os últimos 21 anos acolhe em seu refúgio todos aqueles que precisam de descanso, abrigo e alimento para o corpo e alma. Provê as necessidades mais básicas e ao mesmo tempo mais importantes de qualquer ser humano, tudo isso sem cobrar, apenas por doação. Além de compartilhar seu conhecimento e sua boa energia com aqueles passam por lá.

Tomás ajuda na proteção dos peregrinos, fazendo diariamente um rito templário, além de ser um dos guardiões do verdadeiro e mais profundo significado do Caminho.

Agora, foi proibido pelos médicos à subir em grandes altitudes e nesse momento ninguém pode assegurar quando voltará para Manjarín. De qualquer modo, amigos e voluntários estão cuidando do espaço para que siga acolhendo  todos que precisarem.

Foi muito bom passar esse tempo com esse pai e guardião e quando nos despedimos, ele fez um rito belíssimo evocando nossa proteção até o final da jornada…

Fica aqui nossa gratidão e homenagem peregrina pra esse e todos os pais e guardiões espalhados por todos os caminhos desse mundo!!

Ultreya!!

No Comment

Comments are closed.

You may also like