Quando falamos que o caminho é mágico, é porque coisas mágicas realmente acontecem e porque encontramos personagens também mágicos. Na Galícia, próximo à uma das cidades do Caminho está “O Alquimista”, a quem dedicamos a história de hoje…

Já tinham nos avisado: “Fiquem atentos com os sinais e vocês o encontrarão…”

Dito e feito, no povoado de Fontearcuda encontramos placas, desviamos uns 500 metros do Caminho e elas nos levaram diante de um casarão antigo rodeado por diversas pedras e cristais; um lugar que exala energia por todos os poros.

E lá estava ele, Antônio Bello, espanhol com cara de índio norte-americano e espírito de xamã. Muitos o procuram em busca de conselhos, cura física ou espiritual. Nós queríamos muito conhecer de perto essa figura.

Na varanda de sua casa recebia amigos e peregrinos enquanto preparava o almoço. Assim que nos viu, Antônio nos recebeu com um abraço paternal. “ Sejam bem vindos, juntem-se à nós!! Já almoçaram?!” – perguntou.

Disse que a comida logo seria servida e enquanto isso nos convidou para visitar sua casa-museu, repleta de arte em todas as paredes. Antônio faz quadros super originais com uma técnica que ele mesmo desenvolveu. Circula por uma vasta região em busca de minerais que só ele sabe onde encontrar. Recolhe diferentes tipos de rocha, pedras e cristais que amassados e triturados se transformam em pó colorido. As cores são impressionantes, desde azul cobalto, verde esmeralda, vermelho terra, amarelo ouro, etc… Em sua oficina consegue extrair naturalmente o mais belo tom de toda matéria prima, numa verdadeira alquimia depois usada para criar sua arte.

Conversamos com Maria, uma aprendiz de “feiticeiro” que estava começando a trabalhar com essa técnica e ela nos disse que para produzir um quadro, às vezes eram necessários meses de trabalho. Colar com perfeição o pó colorido na tela era mais uma árdua e minuciosa tarefa para alcançar bons resultados. Os quadros de Antonio tem muita personalidade e energia, muitos brilham naturalmente com a luz.

A casa, de sua família desde que nasceu, esconde mais um tesouro: um lugar sagrado para meditação. Espaço feito com paciência e detalhe convidando para uma pausa, silêncio e conexão. Nesse ambiente não é permitido o uso de sapatos, e uma vez lá dentro, muitos signos e símbolos sagrados do Caminho estão presentes ajudando à tornar o espaço mágico. É um lugar de outro mundo…

Sabíamos que Antônio acolhia peregrinos para passar a noite em troca de doação e tivemos muita sorte de encontrar um último espacinho vago para dormimos, assim pudemos ficar mais tempo com o artista-alquimista. Ao longo dia passeamos na incrível floresta ao redor, batemos muitos papos, celebramos a vida…

Naquela semana Antônio estava recebendo em sua casa uma amiga belga com a filha, coincidentemente seu filho tinha acabado de chegar para passar uma temporada com o pai. Como aquela era a última noite delas na casa e a primeira do filho, o alquimista preparou uma surpresa especial depois do jantar e fez um rito Celta para agradecer a presença de todos. Pra nós foi mais um momento sensacional da jornada… sorte estarmos ali bem naquele dia!!!

A arte da alquimia é transformar o vil metal em ouro. O alquimista nos mostrou que é possível realizar esse feito também em nossas almas, buscando ser pessoas melhores. Transformando um dia normal em algo especial e raro. Ele fez isso recebendo bem em sua casa aqueles ama e os que mal conhece, nos respeitando, cozinhando para nós e oferecendo seu espaço.

Antônio Bello é belo de alma, faz o que ama, ama o que faz. É um verdadeiro alquimista da arte de viver…

Ultreya!

No Comment

Comments are closed.

You may also like