E tudo começou com um casal de amigos nos ligando…

– Dan, você e a Luah podem jantar em casa essa semana?

Como o casal é sensacional e o André, um chef que cozinha bom pra ca#$*&+@, aceitamos na hora.
E por incrível que pareça na noite do jantar, nem o risoto de camarão do André, nem a salada de pupunha ou a super sobremesa da Carol foram os pontos altos. No meio do papo o casal se entreolhou com um sorrisinho suspeito no rosto. De repente a Carol sai da mesa e reaparece com um embrulho para cada um de nós. Abrimos curiosos! A Luah ganhou uma caixinha colorida; dentro um colar com um pingente em formato de coração. Eu ganhei uma agenda estampada incrível. E logo disseram: “Abram na página que está marcada em novembro!”

Como sabíamos que eles iriam se casar, suspeitamos que algo muito bom estivesse acontecendo, mas não sabíamos o tamanho do presente que estávamos recebendo… Abrimos no dia 26 e lá estava um convite. O André e a Carol queriam que a gente celebrasse o casamento deles!!! O coração começou a bater forte! UAL!

Que honra, que alegria, que frio na barriga, que animal!!!!! Eles fariam a cerimônia religiosa na semana anterior à festa de casamento, apenas para a família e nós faríamos a celebração no dia da festa na frente de 400 convidados… Pulamos, brindamos, rimos e choramos. Foi um momento super especial.

Meses depois lá estávamos nós preparando a cerimônia. A responsa era grande: como resumir tudo o que pensávamos e sentíamos por eles? Como conduzir uma cerimônia que atendesse às suas expectativas? Como fazer algo criativo e diferente do tradicional?!

Como a gente queria fazer algum tipo de surpresa, decidimos pedir para todos os convidados que conseguimos contato que mandassem mensagens para o casal. Pedimos para que usassem a imaginação. Nossa ideia era imprimir todas e colocar em um grande pode de vidro, como se fosse um pote de temperos, só que temperos para o amor! Mas quando a gente começou a ler as maravilhas que enviaram, decidimos usar vários trechos das mensagens para compor a fala da cerimônia e assim conseguimos construir um roteiro co-criativo e colaborativo, com a participação de muita gente. A surpresa era não só para o casal, mas para todos que mandaram suas mensagens sem imaginar que elas fariam parte da cerimônia. Decidimos também costurar toda a celebração com simbologias sobre os quatro elementos: fogo, água, terra e ar.

Pra resumir, chegou o dia e lá fomos nós, nervosos e ansiosos, mas com uma alegria indescritível pela nobre tarefa. A Luah, que está super acostumada a apresentar eventos, disse que nunca tinha ficado tão nervosa. Tudo acabou correndo super bem e foi uma tarde muito emocionante para todos.

E preparando o que falaríamos para eles me veio forte o significado de celebração. Enquanto pensava como descrevê-la e porque esse movimento é tão importante na vida das pessoas, me dei conta que celebrar tem muito a ver com honrar o passado. No caso do casamento, toda a história que os dois tiveram até ali foi o que os levou a quererem se casar. Celebrar também é honrar o presente, dar importância para o agora e vivê-lo como se fosse eterno, com toda a alegria e amor. Celebrar também é honrar o futuro pois fizeram um pacto de parceria, de construir dali pra frente uma vida juntos com muitos sonhos e projetos. Celebrar pra mim é honrar passado, presente e futuro, viver os três tempos em um só, talvez por isso seja algo tão mágico.

Curioso como bem nesse ano, que inauguramos a fase Lov Talks do Walk and Talk e passamos a falar do Amor, comprovamos que quando pensamos e falamos sobre algo, realmente atraímos aquilo para nós. Tanto é verdade que esse não foi o primeiro casamento que celebramos neste ano. Erika e Arnaldo um outro casal de grandes amigos tinha feito apenas um casamento discreto, então semanas depois decidiram fazer uma celebração para os amigos no litoral. Como a ideia era uma festa anos 70, celebramos o casamento deles à caráter. Foi uma cerimônia singela mas de extrema beleza e emoção. Deixamos as palavras virem e seguimos apenas o flow para dizer aquilo que o momento pedia.

Se vamos virar “santos casamenteiros” a gente não sabe, mas que foram grandes alegrias celebrar momentos tão marcantes, isso é certeza! O amor é mesmo essa força que une, cria, soma, fortifica e engrandece, transforma momentos em deliciosas memórias que nunca iremos esquecer. Descobri esse ano, que o amor é a energia máxima da celebração! Então, só posso desejar muito amor para todos nós!

No Comment

Comments are closed.

You may also like