Walk and Talk Guatemala 1

Nesse povoado minúsculo da Guatemala, descobrimos Dona Maria, – uma senhorinha de 70 e poucos anos, que além de ser a principal parteira da região, também tem o dom da cura. Conhece os sintomas de inúmeras enfermidades e diversas plantas, raízes e sementes que tem o poder de curar.

Maria é dona de um corpo pequeno, cabelos brancos, olhos penetrantes e mãos que parecem frágeis, mas que ao tocar o corpo doente, sentem o que deve ser feito para trazer alívio. Na falta de um posto médico próximo, a comunidade, ao primeiro sinal de qualquer problema, não pensa duas vezes antes chamá-la.

Tudo começou aos 16 anos quando teve que fazer um parto sozinha. A parteira “oficial” do povoado estava doente e lá se foi Maria. Até o momento só havia acompanhado alguns partos, mas nunca trabalhado neles de fato. Naquele dia ela teve literalmente que colocar as mãos na massa, ou sabia-se lá como a criança ia nascer. Como mágica tudo correu perfeitamente. O parto foi um sucesso.

Essa foi a primeira vez que Maria exerceu seu dom na prática, entendendo qual era sua missão. De lá pra cá tem dedicado sua vida à cura. Não cobra nada por isso, fica à critério daqueles que ela ajuda se podem ou não contribuir com algo. É casada, vive em uma casa muito simples, tem 4 filhos e 12 netos. Hoje divide seu tempo entre os serviços que presta na comunidade e o cuidado com o marido que perdeu a visão faz alguns anos.

Em nossa passagem por El Remate, uma amiga da Austrália passou muito mal. Havia pego uma super infecção alimentar dias antes em Belize. Ficou um tempão mal e nada de melhorar. E não é que foi Dona Maria que deu um jeito na australiana?! Ajudamos como intérpretes e pudemos ver de perto todo o processo. As mãos dela passeiam pelo corpo doente sentindo a temperatura de cada um dos órgãos. Trabalha calada, conectada e ao final sabe exatamente o que tem que receitar. Impressionante!

Nos contou que desde muito pequena tem esse dom: “Um anjo sopra no meu ouvido de que maneira devo tocar minhas mãos nos que estão doentes e o que devo recomendar para que melhorem.”

Idade, situação financeira ou a deficiência do marido nunca foram desculpas para parar Dona Maria. Chuva ou sol, cedo ou tarde da noite, lá está ela… sempre com um sorriso no rosto e disposta à ajudar. Nos disse que a vida a motiva. Agradece todos os dias pelo dom que recebeu, pela maravilha de estar viva e saudável para seguir com sua missão.

Em todos os cantos desse mundo existem sempre pessoas especiais que mesmo sem ganhar as capas das revistas, ao nosso ver são os verdadeiros heróis.

E pelas ruas seguimos, sem perder a fé no ser humano…

No Comment

Comments are closed.

You may also like