Essa é Mariel Paiva, uma senhora peruana com uma vibe ótima e um olhar tipo Liz Taylor.

Faz 28 anos ela trabalha exatamente no mesmo lugar, em um mesmo pedacinho de uma quadra específica do Centro de Lima. Em pé!! Passa horas do dia trocando papel-moeda. Troca euros e dólares por soles – a moeda peruana. Faça chuva ou faça sol, lá está Mariel.

Mariel tem 3 filhos já adultos (entre 34 e 40 anos) e “Muito bem formados” – como diz ela, com ajuda dos recursos conquistados através de seu trabalho. Separou-se do marido 28 anos atrás e perdida sobre o que faria, foi ajudada por um amigo, que lhe ensinou o ofício de ser uma agente de câmbio.

Apesar de parecer um oficio ilegal, como o praticado aos montes em alguns países, aqui esse é um ofício totalmente legalizado e seguro. Explicando melhor, a Prefeitura de Lima regulamentou os agentes de câmbio que facilitam e muito, a vida dos turistas por essas bandas.

Todos vestem um colete amarelo de identificação e usam um crachá oficial que cita seu nome e a localização exata onde atuam. Tão exata que não se afastam mais de 2 metros para realizar o atendimento. Para garantir que as notas trocadas são legítimas, carimbam uma a uma com seu nome. Assim, caso ocorra qualquer problema com um bilhete, o consumidor pode recorrer aos agentes. De qualquer modo vale sempre pesquisar, pois os agentes tem tarifas distintas.

Voltando à Mariel… Ela foi super bacana conosco. Perguntamos como é sua vida estando há 28 anos no mesmo lugar. Nos contou que conhece muita gente, boa parte daqueles que transitam já são seus conhecidos, então se distrai ao longo do dia. Confessou que sabe até quem são os pivetes que causam transtorno no lugar. E fechou o assunto dizendo que não tem do que reclamar do ofício através do qual se reergueu e educou seus 3 filhos.

Ao final do papo perguntamos qual era sua maior motivação. Confesso que já imaginava a resposta: “Meus filhos”, disse ela abrindo um sorriso cheio de energia e orgulho!

Quando o objetivo de vida é um bem maior, até viver exatamente em um mesmo ponto passa batido! O ser humano sempre acaba encontrando maneiras de ser feliz!

Dica: Recebemos alguns emails nos perguntando como trazer recursos ao Perú. A maioria prefere trazer papel moeda – dólares ou euros. O real está tão desvalorizado por aqui que a conversão não vale a pena. Existe também a possibilidade de utilizar o cartão Travel Money, indicado para os que vão fazer viagens longas e não querem sofrer com a flutuação do câmbio. A última opção é gastar no cartão de crédito.

No Comment

Comments are closed.

You may also like