A noite caiu em Ollantaytambo. E quando achamos estar dando uma saidinha rápida só para comer algo leve depois de um dia inteiro de caminhadas, fomos surpreendidos duplamente…

O céu que estava um pouco nublado durante o dia, abriu descortinando uma lua cheia gigante. O visual era alucinante: a lua estourando de brilhar no céu e estrelas contornando as montanhas pontiagudas como se fossem tocá-las.

O povoado estava charmoso, as casas amarelo-ocre da praça principal acenderam suas lâmpadas, lamparinas e abajures enfeitando cafés, lojas e restaurantes. Muitos jovens bailavam danças típicas celebrando as prévias do aniversário da cidade. O povo aplaudia, enquanto os turistas, curiosos, acompanhavam as cenas. Passamos pela praça buscando um restaurante que nos indicaram, de repente escutamos uma música típica ecoando baixinho. O som parecia vir do final do povoado, do caminho das antigas ruínas Incas… Seguimos a melodia.

E não é que fomos presenteados mais uma vez?! As ruínas de Ollantaytambo estavam abertas para um show típico que comemorava as festividades da comunidade. Uma iluminação especial foi produzida só para o evento. E nós, gratuitamente conseguimos entrar… foi inacreditável revisitar o sítio arqueológico à noite! A platéia era pequena, apenas de locais… e nós ali. No gringos, no tourists, só a gente! Ao som das flautas de bambu e das melodias andinas curtimos a lua cheia e aquelas construções incaicas quase inexplicáveis. O momento foi de celebração e amor pela natureza e pelos feitos da antiga civilização Inca. No caminho de volta para a pousada, aproveitamos para tirar mais algumas fotos da noite sobre a cidade. Saímos para jantar sem a câmera, então nossos “recuerdos” acabaram sendo do celular.

Dica: para aqueles que forem para Cusco, super aconselhamos a visita a Ollantaytambo e havendo tempo, indicamos uma noite no local. Aliás, aos que seguem para Machu Picchu, a dica é visitar Ollantaytambo durante o dia e na manhã seguinte pegar o trem que leva até Aguas Calientes (cidade base para a subida à cidade perdida). Aguas Calientes é um vilarejo que nasceu para atender e acomodar a demanda de turistas em Machu Picchu, sendo assim é bem mais cara, com preços para “gringo ver”. Já Ollantaytambo é a única cidade Inca habitada até hoje. É linda, preservada, uma jóia do Vale Sagrado. De lá partem vários trens para Aguas Calientes. Vale a pena se planejar e curtir!

#ollantaytambo #amoviajar #backpackers #triptoperu #walkandtalk

No Comment

Comments are closed.

You may also like