Muita gente espalha a lenda de que é quase obrigatório fazer o Caminho sozinho. Mas casais não só podem fazer o Caminho, como é uma bela prova de amor chegarem ao fim juntos. Aqui não faltam situações para conhecer bem o parceiro e a perceria. É uma grande experiência conviver 24 horas por dia, durante vários dias, passando por provas físicas e emocionais. Desde ajustar o horário da fome, acordar, definir os limites do corpo até sincronizar o rítmo da caminhada que em cada dia é diferente.

O Caminho nos proporcionou momentos para muita troca de sensações, opiniões, ideias e sentimentos, foi importante também saber fazer silêncio quando necessário. Há que se deixar o outro ser…

Ao caminhar com alguém, a primeira coisa que precisarmos aprender é respeito. Respeito pelo tempo do outro, suas fragilidades, dificuldades e necessidades. Mas um casal alinhado tem algo que faz uma diferença muito bacana ao longo da jornada: o apoio mútuo. Um casal pode funcionar como uma balança sincronizada e assim um ajuda o outro nos dias e momentos de maior dificuldade. Há muito o que compartilhar e que se ajudar em todo processo.

Ouvimos muitas histórias de amor de casais que se conheceram pelo Caminho e começaram seu romance ao acaso do encontro. Como Nia e Mau do Hospital da Alma que postamos, entre outros. Casais que começaram juntos e terminaram separados. Ouvimos também a história de um casal que voltou a ser um casal ao se reencontrar por acaso no Caminho após alguns anos de separação.

O Caminho escreve muitas histórias… O tempo todo…

Essa jornada cruza quem tem que se cruzar e também “descruza”. O que parece é que a Verdade e o Amor estão sempre em primeiro lugar. E seja o que tiver que ser…

Ultreya!!

No Comment

Comments are closed.

You may also like